Para o último post a respeito do meu período de estágio, achei que seria interessante focar na parte de estratégia, já que este é um dos pontos fortes e um dos principais diferenciais da Wolff Olins.

Consegui conversar com Yelena Ford, que é uma das profissionais da área de estratégia. Conversamos um pouco sobre os tipos de dinâmicas, workshops e ferramentas que são utilizadas. O que ela me disse é que de acordo com cada trabalho, cada cliente, as ferramentas podem variar muito. Não existe uma receita pronta. Mas a base de tudo é sempre muita leitura, estudo e aprofundamento. Eles não se pautam por sites de tendências, mas se mantêm atualizados principalmente através de jornais e revistas.

Algo que achei muito interessante é o perfil dos profissionais de estratégia da WO. Eles não têm um passado relacionado à área de comunicação necessariamente. Existem ex-advogados, pessoas que se formaram em política, economia, história. E pelo que pude perceber eles incentivam essa diversidade de perfis.

É impressionante a quantidade de pessoas na área de estratégia. Acho que existe o mesmo número de designers e estrategistas. É muito equilibrado, e em qualquer trabalho que é feito a estratégia se envolve. E muito ativamente.

Este foi outro ponto que me chamou a atenção: como a troca entre as 3 grandes áreas (criação, estratégia e atendimento) é intensa. Quando um trabalho já está na fase de criação propriamente dita, existem várias reuniões internas, e os estrategistas opinam em relação ao que está sendo feito por designers. Assim como o atendimento, que, como eu já disse em um post anterior, tem total controle dos projetos.

Da mesma forma, no início dos projetos, quando a estratégia é quem está mais focada, existem reuniões de troca, e os estrategistas fazem questão de entender a visão dos designers em relação ao que estão fazendo, pois acham importante ter uma visão criativa também.

O que a Yelena me explicou é que em qualquer trabalho que se inicia existe sempre um designer envolvido junto com a estratégia e atendimento, mesmo quando é apenas uma concorrência (que não envolve a criação em si). Isso porque, além de tornar o trabalho mais sólido, eles acham importante o cliente perceber a estrutura que é montada para cada projeto e entender que os designers estão cientes de todo o histórico e fases do trabalho.

O pensamento da estratégia, e consequentemente do design, é sempre voltado para o que eles chamam de game changing brands, em que eles buscam encontrar um espaço único no mundo a ser ocupado por uma determinada marca, de acordo com suas aptidões e características essenciais. É muito interessante ver como essa visão da empresa é realmente colocada em prática nos trabalhos. E eles fazem questão de ressaltar isso em todos os materiais institucionais.

Para terminar a série de posts sobre meu período de estágio na Wolff Olins, resolvi transcrever um trecho que li em um dos materiais da empresa. Um trecho que resume bem a forma como eles trabalham e que ajuda a entender um pouco o espírito da empresa, que definitivamente me encantou e confirmou todas as minhas expectativas.

This is a turbulent world. A world of both opportunity and challenge.

Huge new markets and ubiquitous technology, but also economic turmoil, unpredictable conflict, and a planet in peril.

In this world, convention and conservatism won’t work. Same old good is no good. Organizations must be bolder, unafraid to challenge the status quo. They must invent, not predict, the future.

In this world, we have to be ambitious for clients.

It’s also a time of fear and uncertainty.

Many feel daunted by the opportunities, or alarmed by the challenges. We see the opposite way.

We’re always positive. We think the future will be better than the past. We believe in progress, in getting good things to as many people as possible. That way, organisations can make money – and make the world a better place.

Now more than ever, we’re optimistic for the world.”

Por último, gostaria de agradecer ao pessoal da abcDesign por esta oportunidade inesquecível, à Marina Willer por ter aberto as portas da Wolff Olins e ter confiado em meu trabalho; à Tátil Design (empresa em que trabalho) por ter entendido a importância desta experiência para mim,; e a todos que acompanharam os posts durante estas 4 semanas. Espero ter conseguido passar pelo menos um pouco da experiência que tive por aqui.

Obrigado!

 

Compartilhe: