Nova York gastou já milhares de dólares em homenagens à sua maior tragédia, o 11 de setembro. No entanto, um urbanista, Paul Keltaborn, achou que outra grande tragédia também merecia ser lembrada, a Aids, que já matou mais de 100 mil pessoas na cidade.

A ideia não ficou só na cabeça, conta o pessoal NY Mag. Em 2010, ele e o amigo Christopher Tepper formaram um grupo, levantaram dinheiro, pleitearam com políticos e fizeram uma competição para o design do memorial – com a ajuda do pessoal do Architizer. O local escolhido é uma pequena praça em formato triangular entre a 7ª Avenida, A Avenida Greenwich e 12ª Rua.

O resultado da competição foi anunciado dia 30 de janeiro e o projeto parece que vai ser realmente fantástico. O ganhador foi o escritório Studio+ai (que venceu entre as 500 propostas enviadas) com a ideia de circundar a praça com espelhos.

No subsolo haverá um centro, um espaço “cru”, que poderá ser usado como área de exposição, aprendizado e performances. Outra solução bacana são as paredes atrás dos espelhos, que serão colocadas com uma distância de forma a criar vãos por onde entrará luz neste centro.  É sem dúvida um design bem diferente que vai transformar esse pequeno triângulo em um novo ponto turístico.

“Esperamos que o parque seja várias coisas para várias pessoas: crianças brincando com as fronteiras da floresta espelhada, o transeunte que procura uma folga no meio da cidade e visitantes que queiram vir em memória de suas perdas”, escreveram na justificativa do projeto.

Via DesignObserver

Compartilhe: