Ericson Straub

garrafa

A representação gráfica de superfícies é de extrema importância para o rendering aplicado ao design, uma vez que a partir dessa linguagem poderá ser representado também o processo material, fundamental na concepção de um produto. A representação do processo volumétrico passa por superfícies de alto brilho e contraste, superfícies de brilho médio e por superfícies que quase não refletem luz. Cada superfície demanda uma técnica diferenciada, utilizando os materiais tradicionais do rendering: marcadores, pastéis, lápis de cor e guache.Superfícies altamente polidas, como o cromado, têm o poder de refletir intensas imagens espelhadas. Freqüentemente estas imagens aparecem com luz e áreas escuras de reflexão. A representação de superfícies com alto brilho, como o cromado, busca um extremo contraste entre as áreas claras e escuras. É uma técnica de execução simples, porém exige uma definição prévia de onde ocorrerá aplicação de marcador preto e a espessura dos feixes de contraste, ainda no desenho. Superfícies de semi-brilho – como alguns tipos de plástico, metal ou cerâmica – têm a característica de não refletir a luz de forma intensa em um processo natural de iluminação.

Passo 1

Passo 1

1 – O primeiro passo, principalmente quando se tratam de áreas de alto brilho e reflexão, é definir, ainda no desenho, as áreas de contraste. Os feixes de áreas claras e escuras devem ser definidos em função do ponto de emissão de luz proposto. Detalhes do produto em plástico semi-brilho já podem ser representados através da aplicação de marcadores cinza claro e cinza médio.

Passo 2

Passo 2

2 – Nesta fase, aplica-se pastel seco, primeiro na tampa plástica e posteriormente no corpo cromado. Na tampa, a aplicação deve ser feita em tons escuros, de forma a ressaltar a volumetria do produto, escurecendo as extremidades. No corpo cromado poderá ser aplicado um pouco de azul, sobressaindo, assim, a superfície espelhada.

Passo 3

Passo 3

3 – Inicia-se o processo de acabamento, primeiro com o lápis de cor e depois com o guache branco. Este último visa a valorização de regiões com grande intensidade de iluminação. O lápis branco deverá ser passado nas arestas e áreas de encontro de superfícies. Já o lápis escuro deve ser aplicado em pontos e áreas de sombra. O guache branco é aplicado com um pincel fino, nos 0 ou 1, nas arestas e pontos de brilho. Vale lembrar que a viscosidade deve estar no ponto ideal, nem muito grossa nem muito diluída.

Passo 4

Passo 4

4 – Após a ilustração do produto inicia-se a escolha do fundo, que poderá ser feito somente com marcador, somente com pastel ou, ainda, através das duas técnicas conjugadas. Vale lembrar que as cores do marcador sempre se sobressaem sobre o pastel. Portanto, a escolha de cor deve levar em conta as cores utilizadas no rendering do produto, buscando-se similaridade ou contraste. O traçado com marcador também deve ser possuir gestualidade e precisão. Agora, que tal fazer o seu?

Compartilhe: