Por Hélio de Queiróz

onibus-final

O trabalho de produção de sketches através de softwares de tratamento de imagem não é muito diferente do trabalho manual. O processo propriamente dito não deve seguir uma regra muito rígida, pois em exercícios onde é necessário o uso da criatividade isso pode ser prejudicial. O sketch aqui apresentado utiliza uma técnica bastante parecida com a do aerógrafo tradicional, na prática a diferença está na ferramenta em si. Ele segue as seguintes etapas resumidamente:

fase-01

Fase 01

01 – Linhas desenhadas com caneta esferográfica normal. A qualidade do traço só é alcançada com bastante prática o que tornará também mais fácil entender a definição de bom traço.

Fase 02

Fase 02

02 – Foi fixado um ponto de luz imaginário no espaço que determine o rumo das sombras e dos brilhos, com esse ponto determinado foi preenchido com o aerógrafo as sombras do objeto projetadas no chão e todas as áreas onde a luz está menos presente.

Fase 03

Fase 03

03 – Ainda com o aerógrafo ou pincel com dureza zero foi trabalhado um segundo nível de sombras, mais refinadas, que irão definir os volumes das superfícies, esta fase depende muito do fator experiência e é a mais demorada do processo.

Fase 04

Fase 04

04 – Para criar elementos como rodas ou retrovisores simples, como neste caso, basta trabalhar com seleções elípticas e preenchimento degradê.

Fase 05

Fase 05

05 – Aqui foram trabalhados os vidros do veículo, seguindo basicamente os mesmos passos da etapa 03.

Fase 06

Fase 06

06 – Neste caso houve um traballho minuncioso na produção dos faróis, o que demanda também bastante tempo e atenção. O farol é basicamente um conjunto de camadas com preenchimento de aerógrafo arrematados com borracha ou seleção poligonal. Até que se adquira experiência é necessário observar uma foto para determinar melhor o posicionamento dos brilhos e das sombras e garantir um aspecto de farol mais realista.

A etapa final, isto é, o trabalho finalizado, apresenta o desenho com alguns retoques, como a aplicação de fundo para que o desenho não fique voando no espaço e foi dado um pouco mais de destaque para as linhas manuais.

Antes de iniciar é necessário que se tenha domínio sobre a ferramenta a ser utilizada, em geral todos os softwares de tratamento de imagem do mercado são capazes de produzir um trabalho da maneira aqui apresentada, neste caso o software utilizado foi o Adobe Photoshop. Este tipo de trabalho não é mais rápido ou fácil do que um trabalho com pastel e marcador por exemplo, a sua vantagem está na capacidade de se fazer e desfazer infinitas vezes e particularmente na potencialidade de enfatizar os volumes e curvas das superfícies, algo bastante útil na indústria automobilística.

Compartilhe: