Este artigo (colocado editado aqui) foi publicado na nossa ediçaõ 19, e estamos rememorando para também convidar vocês a também enviarem imagens dos seus espaços de trabalho que a gente publica aqui!

Por Carolina Costa

foto31

Espaço Hugo Kavadloff

Espaço Hugo Kavadloff

Espaço Hugo Kavadloff

Espaço Hugo Kavadloff

Espaço Hugo Kavadloff

O trabalho do designer é muito versátil e, por isso, seu espaço está diretamente ligado ao seu estilo. O designer pode trabalhar de diversas maneiras e seu trabalho pode exigir variados espaços profissionais. No entanto, por trabalhar diretamente com criação, o ambiente precisa ter algo de inspirador, que sugira o universo do design.

É claro que existem designers, por exemplo, que trabalham diretamente no computador e, assim, seguem um pouco a tendência da redução do espaço físico. Mas, em sua maioria, os designers ainda usam muito o papel e precisam de um espaço propício para desenhar, fazer seus sketches, roughs, ou mesmo produzir layouts para a apresentação de algum trabalho gráfico.

Um fator a ser levado em consideração é maneira escolhida pelo designer para desenvolver seu trabalho, ou seja, se atua de forma mais autoral ou se trabalha num esquema corporativo. Se o designer trabalha numa grande empresa, o seu espaço e os trabalhos produzidos seguirão o padrão que corresponde à política de atuação adotada pela empresa. Porém, se o designer trabalha de maneira mais autoral, seu espaço tende a seguir valores mais subjetivos. Sua mesa pode conter fotografias de pessoas que integrem suas relações afetivas, assim como objetos de decoração que se relacionem com o seu universo particular.

O designer Rico Lins, do escritório Rico Lins + Studio, diz que já teve vários espaços diferentes. “Já trabalhei em casa e já morei no trabalho”, ele conta. O designer diz que quando veio para o Brasil – e se instalou em São Paulo – sentiu que o deslocamento até um escritório seria um problema, por causa das distâncias. Depois de um tempo, e de diversas experiências, resolveu o problema da seguinte forma: mora bem ao lado do seu atual escritório, mas não mistura os assuntos. Rico afirma que é muito importante separar assunto profissional de assunto pessoal. A respeito do avanço do mundo tecnológico sobre sua atividade, Lins afirma que isso mudou muita coisa em sua profissão, otimizando ações e facilitando tudo. “Isso dá mais liberdade ao profissional e ele não fica preso a um lugar fixo”.

Na opinião de Marcelo Castilho, ex-chief designer da Busscar Ônibus, hoje atuando como consultor, com um pouco de humor é possível quebrar o clima de “galpão industrial” que, por vezes, se instala dentro de uma grande empresa. Ele conta que nesse tipo de ambiente – onde também trabalham outros designers – cada profissional adiciona ao seu espaço individual algo pessoal, que torne o lugar mais agradável. “O ar condicionado e a iluminação artificial ajudam a criar o falso bem estar dos cassinos e shoppings. Então, o jeito é quebrar a rigidez com um pouco de magia infantil: lá estão os carrinhos em miniatura, lembranças de viagem, fotos de família, uma embalagem de xampu que tem um encaixe interessante na tampa, bonequinhos, mais lembranças de viagem e muitos ônibus em miniatura etc”, destaca Castilho.

dsc00586

Espaço Busscar

Sobre o seu próprio espaço profissional,

Espaço Busscar

Espaço Busscar

Hugo Kovaldloff, diretor de criação do Gad Branding & Design, diz que os espaços físicos são generosos e que o ambiente é agradável para o trabalho. Ele conta que funcionalidade e estética são fatores importantes para a organização. Segundo Hugo Kovaldloff, sua sala é luminosa e transparente. “Isso faz com que mantenha a privacidade sem me sentir isolado”, salienta. Em sua opinião, a área de convivência é outro lugar muito agradável porque “além de consultar os livros, podemos ler os jornais do dia e as últimas revistas”. Kovaldloff finaliza dizendo que “de uma forma geral, os espaços do Gad são generosos e agradáveis e representam muito de nossas crenças e valores”.

Todas as profissões requerem espaços que valorizem o trabalho daqueles que as executam. Mas a grande diferença do espaço do designer para os outros espaços de trabalho pode estar na necessidade que este profissional tem de cercar-se de referências estéticas, que fazem parte do seu universo e estão presentes em seu trabalho. Por isso, além de conter todas as ferramentas e equipamentos necessários para a realização de seu trabalho, o espaço do designer também deve compor um ambiente que favoreça as suas atividades do ponto de vista da criação e do desenvolvimento de idéias.

Fotos: Infolio/abcDesign/Straub – Alex Trinks

Espaço Rico Lins

Espaço Rico Lins

Espaço Rico Lins

Espaço Rico Lins

Infolio/abcDesign/StraubDesign

Infolio/abcDesign/StraubDesign

 

Infolio/abcDesign/StraubDesign

Infolio/abcDesign/StraubDesign

Veja mais fotos no nosso flickr.

Compartilhe: