Há pouco mais de uma semana, recebemos o livro de lançamento da Editora Blucher “Cultura, Sociedade e Técnica”, de Tomás Maldonado. O livro é uma seleção de textos feita por seu fiel seguidor Gui Bonsiepe, com o “objetivo de ilustrar o leque da obra do autor e as temáticas que ele, durantes as últimas três décadas, elaborou com insistência minuciosa”, explica o discípulo.

O livro explora diferentes temáticas, entre elas a perspectiva de Maldonado quanto à democracia no ciberespaço, os efeitos da telemática nos espaços urbanos, os óculos e o paradigma de “escrever uma história detalhada sobre um objeto técnico e o debate sobre as mudanças nos costumes de falar, escrever e ler na era dos meios digitais”, comenta a assessoria de imprensa da Editora.

O argentino Tomás Maldonado é reconhecido por ter ocupado a cadeira de diretor na famosa Escola de Ulm (HfG), na Alemanha, nos anos 60. Ele também é o fundador do curso superir de Desenho Industrial no Politécnico de Milão, em 1994, onde foi nomeado professor emérito.

Pórem, na visão de Bonsiepe, ele precisa ser lembrado por ter  representado o movimento da arte concreta nos anos de sua juventude. Por ter explorado, na ufg-ulm, o campo da pesquisa, desenvolvimento e ensino das disciplinas projetuais. Nos anos em que passou na Itália, por ter se tornado um líder no debate cultural sobre questões do projeto. “Essas características transformam a Maldonado em uma figura central do debate cultural cotidiano, incluindo a atividade projetual nas diversas manifestações”, reconhece o selecionador.

Compartilhe: