Com a justificativa “eu quero reinventar o ambiente construído com o objetivo de estender o alcance da consciência”, o multidisciplinar Michael Jantzen consegue fazer-se entender quando o assunto é as suas obras. Para cumprir com o esse seu primeiro objetivo, ele trabalhou com métodos considerados radicais para não só experimentar a organização dos espaços e materiais, mas também possibilitar a revisão da nossa consciência e o que ela dita em relação as nossas interações.

“Em seus muitos anos experimentando estratégias de construções sustentáveis, Jantzen trouxe formas de reduzir nossa utilização de recursos e estender a vida das construções utilizando novas tecnologias e simples métodos arcaicos de design. A maior parte do projeto dele prospera em absorver e estocar fontes para funcionar o mais independentemente possível da rede”, afirmou Danny, por meio do Designboom.

Danny, ainda diz que o trabalho do design, artista, arquiteto, engenheiro e inventor Jantzen inclui, ainda, partes físicas operáveis, combinadas com interfaces digitais e dispositivos de coleta de energia modernos.

Para saber mais, leia o artigo – em inglês – aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe: