Alexandre Magno, sócio da ArtOffice e José Junior. “Este reconhecimento nacional valoriza, principalmente, o talento dos nossos profissionais e é reflexo do nosso trabalho em equipe aliado ao alto grau criativo”.

Alexandre Magno, sócio da ArtOffice e José Junior. “Este reconhecimento nacional valoriza, principalmente, o talento dos nossos profissionais e é reflexo do nosso trabalho em equipe aliado ao alto grau criativo”.

 

O Prêmio Colunistas já tem uma certa tradição na área da propaganda, e é entregue desde 1968 pela ABRACOMP – Associação Brasileira dos Colunistas de Marketing e Propaganda.

O design, como em outras competições relacionadas à propaganda, entrou faz pouco tempo com categoria e só neste ano teve o troféu nacional. O ganhador foi o designer curitibano José Junior, do escritório Art Office, que vem mostrando a cara com projetos para a Nike (premiado pelo iF Design Awards), Boticário, Phillip Morris e Brastemp.

José Junior foi responsável pela embalagem do perfume Linked, do Boticário, um dos trabalhos da Art Office que mais recebeu prêmios no Brasil e fora.

Para conhecer um pouco mais dele, fizemos uma entrevista com José Junior, “o DNA da empresa, como definiiu seu colega e chefe, Maurício Medeiros.

“Do nome ao produto final, o projeto foi inspirado nas formas recorrentes que invadiram o cotidiano nos últimos tempos: iPods, MP3 players e celulares. Buscamos conectar três peças-chave que representam a modernidade e as características do jovem atual: a conectividade, a tecnologia e a música”, explica José Junior.

No Linked uscamos conectar três peças-chave que representam a modernidade e as características do jovem atual: a conectividade, a tecnologia e a música”, explica José Junior.

 

abc: Esse é seu primeiro prêmio? O que receber esse tipo de reconhecimento significa para você?

JJ: Eu já havia sido premiado pelo Clube de Criação do Paraná (CCPR), mas é sempre é um estímulo muito grande. É a recompensa de todo um esforço na busca pelo melhor resultado e das madrugadas e fins de semana que investimos. É o momento que olhamos para trás e temos plena certeza de que tudo valeu a pena, já que grandes nomes do mercado avaliaram e reconheceram o valor do seu trabalho.

abc: Além do Linked, por quais outros trabalhos seus você se sente realizado?

JJ: Posso destacar três projetos que foram especiais:

A linha de merchandising para Chopp Brahma, que é um portfólio completo de peças para bares especialistas da marca. Foi um trabalho que levou pelo menos um ano de criação e desenvolvimento e hoje está Brasil afora. quadro_2

sinoplaca_parede

Outro que gosto muito foi um bespoke project para Stella Artois dentro do Buddha Bar em São Paulo. O desafio era ambientar a centenária marca belga de cerveja dentro de um ambiente com temática oriental e onde as marcas se mostravam de maneira sutil e refinada.

_dsc0787

_dsc0677t

_dsc0805

Outro projeto foi a iniciativa de retail Nike para o lançamento da camisa do Flamengo, inspirada na primeira camisa do Clube. A camisa é uma homenagem do futebol ao remo, esporte que deu origem ao Clube. O resultado foi uma vitrine cenográfica destacando a camisa dentro de uma moldura iluminada. Usamos os remos e a bola de futebol dourados representando o passado e o presente de glórias.

_dsc0027_dsc0040

abc: O Paraná tem começado a se destacar na área de design. Na sua opinião no que o Paraná tem se diferenciado?

JJ: Acredito que o Paraná sempre teve notórios designers e realmente cresceu muito nos últimos anos, inclusive o próprio mercado de design. Com isso, mais profissionais entram para trabalhar e, por consequência, muitos talentos surgem

abc: Por outro lado, o que ainda falta para que o mercado paranaense absorva e reconheça os muitos profissionais de design bons que existem?

JJ: O design está ligado à comunicação sim, porém tem suas particularidades e seus valores. As empresas vêm percebendo essa diferença, mas nós profissionais somos responsáveis por esclarecer cada vez mais como o designer trabalha, como ele deve ser remunerado e como ele pode ser uma ferramenta fundamental quando se busca inovação. Nós construímos o mercado e quanto mais sólido e sustentável ele for naturalmente de melhor forma os profissionais serão absorvidos.

abc: Que designers você admira? E o que é um job dos sonhos na sua opinião?

JJ: Meus grandes ídolos fizeram história nos anos 90: The Designers Republic, Stefan Sagmeister, David Carson, Neville Brody, etc. No Brasil, Rico Lins, Rafic Farah, Gringo Cardia e o genial Oswaldo Miranda mais conhecido nacional e internacionalmente como Miran. Job dos sonhos talvez não exista, meus prediletos são aqueles em que o cliente tem um grande problema e não faz ideia de como resolver. Sem dúvida são os mais estimulantes e normalmente vem acompaêhados da célebre: “Agora é com vocês!”.

Compartilhe: