As inspirações para o trabalho da artista australiana Freya Jobbins vieram de artistas como Guiseppe Archimboldo e suas pinturas de frutas e vegetais, Ron Mueck e seus humanos em tamanhos gigantes, e Gunther Von Hagen e os corpos de plastilina. O resultado de tanta inspiração foi reaproveitar brinquedos velhos e construir faces de humanoides que ela resolveu chamar de dollface, ou no português, rosto de boneca – em tradução livre.

A coleção, de certa forma, chama a atenção pelo adicional interesse da artista em trazer para as suas obras a relação do fetichismo consumista e a cultura de reciclagem emergente dentro das artes visuais. Ela diz que seu trabalho explora essa relação “devido aos gastos excessivos da nossa sociedades com brinquedos de plásticos, especialmente de bonecas”, melhor explicou Jobbins.

Conheça o portfólio dela no site: www.freyajobbins.com/index.html.

 

 

 

 

 

 

Via collabcubed.com

 

 

Compartilhe: