Neste sábado, 8, aconteceu o Coworking Day, um evento realizado pelo Google Business Group (GBG) com o objetivo de discutir, ensinar e fomentar a economia colaborativa. Foram diversas palestras, oficinas e muito networking realizados durante todo o dia no Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP).

Sob a moderação de André Telles, o painel “O que é Coworking?”, composto por integrantes dos principais coworkings de Curitiba, André Pegorer, do Nex, Marcus Pereira, da Fantástica Casa das Startups, Maria Andrea, da Aldeia Coworking e Renata Aquino, do Impact Hub, abriu o evento desmistificando alguns pré-conceitos sobre coworkings e mostrando as principais mudanças ocorridas nos últimos anos na economia criativa.

Antagonicamente ao pensamento equivocado de que em tempos de crise econômica todos os setores são afetados, os integrantes do painel acreditam que ainda há muito espaço para novos coworkings no Brasil, inclusive em cidades do interior. “É um momento bastante frutífero, acredito que a economia colaborativa tende a crescer não só nas capitais”, comentou Maria a respeito das expectativas do mercado colaborativo.

Além da expansão do número de estabelecimentos, também há uma tendência de segmentação nos coworkings, os palestrantes trouxeram esta característica como um processo natural. “É normal que pessoas de comunicação se juntem a pessoas de comunicação, por exemplo. A tendência certamente é a criação de coworkings de nicho”, explicou Marcus Pereira sobre a criação de novos coworkings direcionados a públicos específicos.

O primeiro coworking foi criado em 2005 pelo engenheiro de software americano Brad Neuberg, a ideia era juntar profissionais de diversas áreas para trabalharem juntos durante alguns dias da semana com o objetivo de fugir do isolamento e de trocar experiências.“O coworking oferece o escritório de uma empresa tradicional, mas de uma maneira muito única”, definiu Neuberg.

Participantes do painel "O que é Coworking?"

Participantes do painel “O que é Coworking?”

Compartilhe: