Como se Pronuncia Design em Português: Brasil Hoje é a segunda exposição da programação desenhada pelo MUDE para Lisboa, Capital Ibero-Americana da Cultura, realizada com  parceria com a Universidade de Lisboa.

O objetivo da programação é refletir sobre o design desenhado e produzido nos países ibero-americanos, trazendo a sua real contribuição na construção de um mundo global e uma sociedade equilibrada e humanista. De formas distintas, estamos diante de produtos, serviços e propostas que falam da realidade política, econômica e social de cada país e região, da vida concreta das pessoas e das consequências e paradoxos do modelo de desenvolvimento ocidental.

Para o curador da exposição Brasil Hoje, Frederico Duarte:

“Portugueses e brasileiros partilham a mesma língua e a mesma palavra estrangeira: design.
O sotaque pode mudar mas esta palavra, pronunciada dos dois lados do Atlântico sem ser
traduzida, tem hoje muitas declinações e múltiplas interpretações.

Em 2015 o MUDE apresentou, na exposição Como se Pronuncia Design em Português, mais de 200 interpretações deste termo enunciadas por designers portugueses ao longo de mais de um século. Dois anos depois, o Museu do Design e da Moda – Coleção Francisco Capelo revela, no Palácio da Calheta em Belém, apresentou 100 perspectivas de design enunciadas no Brasil do século XXI. Metade dessas perspectivas revelam como o design tem sido empregado no Brasil contemporâneo para promover ideias de progresso, consumo, identidade, patrimônio e cidadania. Mas também para questionar essas mesmas ideias.
As outras perspectivas apresentadas são os 50 livros sobre design e designers brasileiros disponíveis para consulta e compra na primeira livraria de Portugal especializada em design brasileiro. Instalada no centro da exposição, esta livraria presta um serviço único e pioneiro aos profissionais, estudantes e interessados em design portugueses, tornando-se ainda num ponto de encontro privilegiado para quem estuda e pratica o design na nossa língua.

Entre projetos e livros a exposição Brasil Hoje conta com mais de 200 autores, estúdios e colectivos das mais diversas disciplinas e abordagens do design: da tipografia ao mobiliário, da moda à arquitetura, da publicação independente aos produtos de grande consumo. Os seus clientes incluem tribos indígenas, grupos de ativistas e iniciativas cidadãs, além de grandes empresas como a Embraer e marcas conhecidas de produtos e serviços como a Havaianas, a Natura, a Whirlpool Latin America ou a Porto Seguro. Com uma manifesta diversidade em termos de gênero, etnia e distribuição territorial, esta exposição apresenta questões prementes e específicas do Brasil, mas também respostas inovadoras a problemas globais. Terá ainda uma presença urbana fora do  Palácio Calheta, através dos cartazes de uma campanha não eleitoral.

Mais do que uma exposição de ícones do design brasileiro esta é uma exposição de ideias de design postas em prática por e para brasileiras e brasileiros. Como tal, Brasil Hoje evidencia a especificidade e complexidade do ato de projetar para o povo, sociedade, mercado ou território brasileiros, mas também o carácter cosmopolita e o alcance universal do design praticado na língua portuguesa”.

  • Azulejaria - Laura Taves (Placas de Rua da Mare) | Foto: Azulejaria

Texto e fotos: via assessoria

Compartilhe: