Para o Brasil, apenas uma prata em design, com os livros da Virada Sustentável, mas dentre os segundo lugares há muitos trabalhos muito inspiradores pelas soluções simples, divertidas e interativas.

Segue uma lista para você guardar na gaveta de referências:

O livro que atrai dinheiro

Relatórios anuais de desempenho não são os projetos mais legais de se fazer (e dificilmente permitem flexibilidade criativa). Mas a F33 Murcia, da Espanha, resolveu mostrar que é possível fazer diferente. O cliente foi a Agência de Impostos da região de Murcia, que queria mostrar com o livro que cada centavo conta para os investimentos em serviços. Para ilustrar a ideia, a F33 Murcia colocou na capa um imã que atrai as moedas que estão perto. Como resultado, a Agência de Impostos recebe frequentes pedidos do livro só por causa da sua proposta nada convencional.

Tecnologia e craft

Para falar sobre a TV da Loewe, que transforma o 2D em 3D, a Scholz and Friends, de Berlim, apostou numa campanha usando frases clássicas do cinema feitas apenas em tipografia com efeito 3D manual.

Dor de cabeça

A Y&R Dubai soube usar bem os espaços para os cartazes da campanha da Paras Pharma. Faz a gente se lembrar na hora como é ter uma dor de cabeça.

Para sair de casa

A Yatra é uma empresa que presta serviços de viagem na Índia. Para o seu calendário, a TBWA India resolveu criar algo que incentivasse as pessoas a viajarem mais durante o ano. A solução gráfica usou 365 carimbos de imigração diferentes com a perspectiva de fazer a pessoas olhar para países em que nunca antes pensou em ir.

Contra a corrente

Um fotógrafo cuja identidade visual não usa fotografia. Para Paul Thompon, a Chase Creative Consultancy, de Londres, levou a sério que uma imagem vale por mil palavras e aplicou isso em pôsteres, cartões e camisetas.

Leite e música?

Para promover mais uma temporada dos concertos de Dortmund, a Jung Von Matt de Hamburg resolveu testar a influência da música clássica na produção das vaquinhas alemãs (fato cientificamente provado). Os leites foram divididos por artistas e vendidos.

Um tênis, um pixel

Para enfatizar que a Converse é uma ativista em prol da independência e que sua marca tem a ver com música e arte, eles lançaram o projeto The Canvas Experiment. Para a ação foi criada uma “tela” com 480 pares de Chuck Taylor que se movimentam independentemente e de acordo com a música. A criação foi do Perfect Fools, de Stockholm.

 

Brasil de prata

A LewLara/TBWA de São Paulo desenvolveu para a Virada Sustentável brochuras e materiais gráficos reutilizando jornais, cadernos, agendas e páginas amarelas aplicando a arte gráfica apenas com spray. A ideia não é muito nova, mas o júri gostou do resultado e valeu Leão de prata para a agência.

A agência que ama marcas

A agência W&CIE queria fazer uma homenagem às grandes marcas na sua própria identidade corporativa. As soluções usadas no interior do escritório deram um leão de prata pela variedade de interpretações dessas marcas. Tem o quadro bestiário das marcas que usam animais como símbolos e a tabela periódica. A maior homenagem é ao símbolo da Bauhaus, a “marca das marcas”.

Applebox

A LeoBurnett queria contar sua história para prospects e clientes e, claro, queria fazer isso de uma forma diferente. Eles criaram a Applebox, inspirada nas maçãs que o fundador da empresa deixava na recepção do escritório. As maçãs são feitas de 100 notinhas individuais e a caixa é lindamente entalhada. A ideia era entregar não só os trabalhos e história a agência, mas uma experiência com o seu espírito criativo. Agora, os clientes estão pedindo para que eles também ajudem a contar suas próprias histórias.

Um lápis comestível

Colocar parmesão no seu prato nunca foi tão diferente. A Kolle Rebbe, de Hamburgo, queria transformar esse simples ato em uma experiência diferente. A solução veio em forma de lápis, cujo exterior é feito de parmesão e o “grafite” são sabores diferentes: pesto, trufa e chilli.

Compartilhe: