Edit: Crochê  O ponto-cruz (lá se foi a minha rima no título) ainda é considerado coisa de vó, mas já que a tendência é a retomada dos trabalhos manuais como forma de exercitar a criatividade e sair das caixinhas (todas, inclusive o computador), aqui vão dois exemplos bacanas para inspirar a pensar em como diferentes técnicas trazem novos resultados.

Primeiro os nervosinhos exemplos da Julie Jackson, que começou a fazer crochet  ponto-cruz como parte de um programa de controle de raiva por causa de um chefe mala. A terapia deu certo e ela montou o SubversiveCrossStitch, com os kits para você mesmo fazer o trabalho.

 

Num viés mais simpático, vem a dupla do Weelittlestitches, que pega da cultura pop as referências para os bordados. Na página deles do Etsy você pode comprar os PDF com os tutoriais para recriar os personagens que você quiser. Vou fazer o do Ferris Bueller, com certeza!

Vi no Lifelounge.

Compartilhe: