A ideia principal do projeto da bola vermelha era a forma como as pessoas interagem com a arte no espaço público. Para o autor da RedBall – nome em inglês da intervenção urbana – Kurt Perschke, de Nova Iorque, três pontos se destacam em relação a reação das pessoas ao objeto gigante que passou por 20 locais diferentes da Inglaterra.

Com o país cheio de turista, principalmente pelo fato da Olimpíada estar batendo na porta, o primeiro ponto a destacar é a forma como a bola atingiu seus diferentes públicos. O objeto desperta, geralmente, as crianças por ser um convite a brincadeira. Mas desta vez, ela fez o mesmo convite aos adultos, que também brincaram com a bola. Os adultos pularam na bola, deitaram no chão e fizeram muitas outras brincadeiras, além do próprio ato de fotografar e registrar a intervenção.

Segundo, as diferentes formas de interação, uma vez que nem sempre a bola estava ao alcance das pessoas. Sem poder tocá-la, elas observavam o objeto, registravam e refletiam sobre ele.

Terceiro, após interagirem com a bola, as pessoas queriam saber em quais outros lugares ela iria estar na cidade e, com isso, passaram a dar sugestão ao artista de onde ela poderia ser alocada. Para Perschke, esse foi o ponto onde seu principal objeto foi cumprido, pois naquele momento o público passou a entender o processo artístico e a forma como ele é desenvolvido.

Para saber mais sobre o projeto, assista o vídeo, em inglês, produzido por Danny Cooke logo abaixo.

 

 

 

Kurt Perschke’s RedBall UK from Danny Cooke on Vimeo.

Compartilhe: