O desafio de abordar a interação entre o sexo e o design gráfico levou a uma reflexão sobre a representação visual da sexualidade. “Se sexo é tão natural, porque ainda é tabu?”

Há quatro edições atrás, publicamos na abcDesign uma matéria sobre a interação entre sexo e o design de produto. Nosso objetivo foi mostrar como o design pode contribuir na “hora H” em produtos com mais ergonomia e estética e, por outro lado, como o sexo pode ser uma inspiração para desenvolver produtos do cotidiano inusitados, divertidos e excitantes.

Meses depois, me propus a abordar a relação entre o design gráfico e a sexualidade, para dar continuidade à matéria anterior. De repente, me vi diante de um grande desafio! Se com o design de produto, eu tinha um campo de análise delimitado, com o design gráfico eu o tinha ampliado imensamente. Afinal, design gráfico trata-se, basicamente, de traduzir mensagens, ideias e conceitos visualmente, o que pode ser feito de inúmeras maneiras. E desde que existe humanidade (e ela é capaz de se expressar por meio de imagens), sexo é um tema a ser representado. Como, então, delimitar algo que existe em todas as formas e cores nestas escassas cinco páginas? Me pareceu impossível.

footfetish-1
Foot Fetish por Bela Borsodi

Comecei mergulhando no universo da arte, do design, da propaganda e até da pornografia para tentar entender onde eu deveria chegar. É muita coisa e para todos os gostos! Além disso, eu sempre acabava esbarrando na fronteira entre o que é efetivamente design gráfico e as referências que são usadas pelos designers. Nessa área, fotografia, arte, publicidade, ilustração, animação, entre outras formas, tudo se conversa!

O jeito foi partir para a história para que, do começo, eu tentasse chegar à atualidade com alguma perspectiva. Até à psicologia eu recorri.

No decorrer das pesquisas, algumas perguntas acabavam sempre voltando à na minha cabeça: “Sexo é algo tão básico, porque ele mexe tanto com a gente?”. “Porque o foco da representação sexual está na mulher?”. “A mídia está saturada de sexo, porque será que ainda é um tabu tão grande?”. “Por que nos sentimos agredidos com tanta apelação na propaganda?” e “Qual o papel do designer nisso tudo?”

Essas foram as perguntas que eu tentei responder . Não se trata de uma matéria histórica, nem mesmo de uma análise semiótica dos trabalhos selecionados. Meu intuito é fazer você pensar sobre porque a sexualidade é um tema tão recorrente, interessante, polêmico e porque vale a pena conhecer mais.

Para ler todo o artigo compre ou assine a abcDesign!


Redação

Matéria-prima da criatividade. | redacao@abcdesign.com.br

All author posts

Privacy Preference Center